A educação é essencial para a saúde mental das crianças

A educação é essencial para a saúde mental das crianças

Ao longo de toda a vida, vivenciamos eventos estressores. Na infância, não é diferente. A pandemia trouxe prejuízos para pessoas de todas as idades e, com as crianças, envolveu circunstâncias de sofrimento como não poder ir à escola, ausência de brincadeiras em espaços de convívio social, não se encontrar com amigos e familiares, além do medo que continua se fazendo presente em diversas circunstâncias do dia a dia. Sabe-se que a produção em excesso de cortisol (hormônio do estresse) prejudica as conexões neurais. Por conseguinte, é importante atentar para a frequência e intensidade com as quais os pequenos têm vivenciado situações desse tipo a fim de lançarmos mão de ações para cuidarmos de sua saúde emocional. Sugerimos:

  1. Permitir que a criança se expresse e comunique o que está sentindo e pensando;
  2. Favorecer o sentimento de pertencimento, trazendo segurança e fomentando vínculos afetivos saudáveis;
  3. Evitar a sobrecarga mental, promovendo espaços de brincadeiras livres e convivência com os pais. O brincar contribui para o desenvolvimento integral saudável e é por meio dele que a criança elabora o mundo;
  4. Observar os sinais comportamentais, tais como irritabilidade, apatia, nervosismo, agressividade, pesadelos frequentes, entre outros, que alertam para algo que pode não estar bem. 

Escuta, acolhimento e disponibilidade com as crianças são fundamentais em todas essas sugestões.

Outras postagens